Páginas

sábado, 26 de janeiro de 2013

SUCESSO O MOVIMENTO ANTI CORRUPÇÃO.

Hoje ocorreu a Caminhada contra a corrupção em nossa cidade, e superou as expectativas, povo consciente e conhecedor de seus direitos, esteve no estacionamento do Asun, onde vários manifestaram as suas revoltas e revindicações.
Munidos de faixas e cartazes, feitos à mão, pois o movimento não pertence a partidos político e muito menos bancado pela prefeitura, as pessoas gritavam palavras de ordem, como saude, educação e geração de empregos. Com a presença da RBS TV, um manifesto foi distribuído para os presentes e para as pessoas nos veículos que entravam no estacionamento do mercado. 
O prefeito passou varias vezes no local acompanhado de sua filha Secretária da Fazenda, e pena que não parou para dar explicações aos seus municipes, e poderia tê-lo feito, pois foi um movimento pacifico e ordeiro como é o povo de Cidreira.
Mas nós sabemos que é dificil explicar o inexplicavel, então ele ficou só olhando para o movimento, tentando identificar pessoas para poder fazer pressão, neles ou em seus familiares, como o governo anterior sempre fez. Leia abaixo o manifesto na integra:

MANIFESTO CONTRA A CORRUPÇÃO ELEITORAL
“O efeito da justiça será a paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre”.  
Os cidadãos de Cidreira aqui representados em virtude do seu compromisso com os valores de cidadania que demandam a prática da justiça e da verdade, bem como a responsabilidade de denunciar todas as atitudes que ameaçam a vida e a dignidade humana; vêm a publico denunciar o caráter endêmico e persuasivo, que a corrupção tem atingido todas as áreas da vida pública, principalmente por parte de lideranças políticas que justificam tais práticas sob o pretexto de ser um procedimento comum e centenário, portanto, normal, ou ainda com slogans popularizados como “rouba, mas faz”.
Por outro lado nos deparamos com a cultura predominante da impunidade, onde a única certeza é que determinados criminosos, jamais serão alcançados pelos rigores da lei, gerando a descrença no sistema judicial que funciona apenas para os que não podem contratar advogados de renome.
A prática de desvio dos recursos públicos, principalmente nas das obras públicas, inacabadas, não somente elevam significativamente o custo de tais obras, como também afetam inevitavelmente o cidadão ao privá-los de recursos que poderiam ser aplicados em serviços essenciais na área da saúde, educação, moradia, transporte e segurança. Tal situação tem impacto direto sobre os mais empobrecidos, perpetuando uma situação de desigualdade e gerando um ambiente favorável à violência. É exatamente este segmento da população que mais necessita dos serviços públicos de saúde, educação, transporte, moradia, saneamento e outros benefícios de responsabilidade do município.
Centenas de crianças, jovens e mulheres têm sido condenados à marginalização vivendo sem esperança e à mercê de traficantes e outros inescrupulosos que se enriquecem às custas da miséria alheia. Nesse contexto ainda não faltam os que tiram proveito eleitoral ao se apresentarem como “salvadores da pátria”, bem como, líderes ávidos por dinheiro oferecendo prosperidade sem trabalho e sucesso mediante o simples decretar.
A Corrupção política prejudica o funcionamento da Administração Pública, pois fere diretamente os seus princípios da: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

O corrupto ao praticar atos de corrupção ignora esses princípios, comete gravíssimos crimes e põe em risco a construção sadia do município. 

Infelizmente o nome do nosso município tem sido frequentemente citado nas páginas judiciais.

Nós moradores de Cidreira, estamos perplexos com os últimos acontecimentos em nossa cidade, temos um governo acusado judicialmente de ter comprado votos e transferido irregularmente centenas ou milhares de títulos de eleitor, de pessoas que, se quer, conhecem nossa cidade.
Temos um governo, que o Ministério Público Eleitoral pediu a cassação do seu mandato por varias irregularidades ocorrida nas eleições de 2012.
E mais, um governo investigado pela Policia Federal, por irregularidades eleitorais.
Por este motivo estamos hoje, cumprindo nossa missão de cidadão, correto, honesto e principalmente por não ser conivente com tudo isso.
Queremos resultado nas investigações, pois o enriquecimento ilícito é comum, corriqueiro e há olhos vistos.
Aguardamos e esperamos que com situações semelhantes à que deu origem a cassações de eleitos em todo o estado, que nossa cidade tenha o mesmo tratamento e rigor por parte das elites políticas, da mídia e do judiciário.
Conclamamos a todos os homens e mulheres de bem desta cidade a assumirem uma postura firme e consciente rejeitando e repudiando todos os processos de corrupção desde aquelas simples “gratificações” para obter alguma vantagem ou se livrar de multas ou penalidades, até o silêncio conivente diante das grandes negociatas.
Cidadãos conscientes e politizados não serão facilmente iludidos ou liderados por políticos corruptos.
Por fim, citando o inesquecível (Martin Luther King) "Nossas vidas começam a terminar no dia em que permanecemos em silêncio sobre as coisas que importam".
Muito obrigado e um forte abraço a todos!!

4 comentários:

  1. Que bom que nós estamos nos manifestando,contra a corupção em cidreira e que de resultado e que fique de exemplo para outras cidades. FORA CORUPTOS LIMPEZA JÁ! Uma pergunta sai MILTON BUENO entra quem?

    ResponderExcluir
  2. para que perder tempo com isso minha casa hoje tarde foi arrombada quando fui ao assun para participar da marcha e todos os vizinhos vem mas nao fasem nada vou embora de cidreira acho que esta cidade nao tem jeito pois nao tenho vigilancia e nem vou colocar sinto muito tinha muitos planos para investir nesta cidade mas sem segurança não da ninguém é louco de investir em terra de ninguém

    ResponderExcluir
  3. meia-dúza de gatos pingados...Eleição não se ganha no grito,se ganha no voto.

    ResponderExcluir
  4. Tenho sido abordado por inúmeras pessoas que perguntam sobre a ação movida pelo Ministério Público contra o ex-prefeito Beto Pires e o prefeito eleito Milton e seu vice Cláudio Wolf, tendo como objeto o excesso de gasto com propaganda institucional.

    As informações são bastante distorcidas e a população não tem ideia do que isso significa. Entendo que é devida uma satisfação a todos, especialmente aos eleitores que os elegeram. Não sou o advogado do caso, mas vou tentar explicar o contexto que envolve a situação. Como se trata de discussão jurídica a questão para ser explicada precisa de abordagem técnica.

    No mérito da ação, o entendimento do Ministério Público é que a média de gastos com publicidade pela Prefeitura Municipal de Cidreira no ano de 2012 (ano eleitoral) ultrapassou a média do que foi gasto nos 03 anos anteriores.

    Para melhor entendimento, a média de gastos dos 03 anos anteriores (2009, 2010 e 2011) foi de R$ 66.603,35. No ano de 2011 o gasto foi de R$ 138.564, 06. E no ano eleitoral (2012) o gasto foi de R$ 113.797,20.

    O enquadramento do Ministério Público foi além do que prevê a Lei 9.504/97 que regula as condutas vedadas aos agentes públicos em campanha eleitoral. Assim dispõe a Lei:
    Art. 73. São proibidas aos agentes públicos, servidores ou não, as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais:
    VII - realizar, em ano de eleição, antes do prazo fixado no inciso anterior, despesas com publicidade dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais, ou das respectivas entidades da administração indireta, que excedam a média dos gastos nos três últimos anos que antecedem o pleito OU do último ano imediatamente anterior à eleição.

    A lei é bem clara. Existem duas maneiras de calcular as despesas com propaganda institucional no ultimo ano de mandato. Ou é pela média dos últimos três anos OU do ultimo ano imediatamente anterior a eleição.
    Quando a Lei fala de média dos três últimos anos, não há dúvida: basta somar o gastos dos três anos e dividir por três e teremos a média.
    E quanto ao ultimo ano? Aqui não há como se querer fazer a decomposição do ano. E se fosse decompor seria em meses. Só que a lei não autoriza isso. Teria que expressamente dizer que a média seria obtida com a divisão do período em doze meses.

    Não precisa dizer que a Lei Eleitoral é de Direito Público e como tal sujeita ao princípio da legalidade, só vale o que está expresso, se não estiver é proibido. Então o entendimento da lei deve ser o valor total gasto no último ano anterior à eleição.

    ResponderExcluir