Páginas

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

ANÁLISE DAS ELEIÇÕES EM CIDREIRA


O povo escolheu o continuísmo em nossa cidade, e ao invés de corrigir, resolveu confirmar a continuidade e o governo, com 3810 votos colocou o candidato da situação Milton Bueno, na prefeitura. A oposição desunida e perdida no seu discurso fez a maioria dos votos da cidade, mas dividida perdeu novamente o governo do município.   
Com 5185 votos dados a candidatos da oposição, mostrou que a maioria do cidadão eleitor esta descontente com a atual administração.   
Veja também que de 11.519 eleitores somente 9343 votaram incluídos os votos nulos e brancos, que tirados deixam somente 8995 votos validos nesta eleição, 2176 eleitores nem compareceram na cidade para votar, pois estes devem ser os votos transferidos de veranistas e parentes de candidatos.
A justiça eleitoral poderia, a partir destes 2176 eleitores, a fazer o levantamento dos eleitores reais de nossa cidade, bloqueando títulos e exigindo novos comprovantes atualizados de residência e principalmente comparando os endereços, pois tem tanta gente em alguns endereços, que somente se fosse um hotel poderia colocar a todos.
Tem um candidato a vereador com 30 títulos transferidos para o seu endereço e de seus vizinhos e fez somente 29 votos.
Acredito que as oposições devam repensar suas estratégias, e aprender que somente com a união das forças vão conseguir mostrar o que realmente pretendem fazer de diferente, pela cidade e pelo cidadão. Ninguém é mais bonito, ou melhor, que o outro, mas com certeza devem ser mais humildes e perder a síndrome de salvador da pátria que se instalou nas oposições.
Resumindo, quem realmente foi prejudicado nesta eleição foi o eleitor, que na sua maioria votou contra o atual projeto instalado na prefeitura, mas que por ter varias opções perdeu a eleição e a minoria manteve a atual gestão.
Torço sinceramente para que este governo, mesmo sendo de continuidade, que seja melhor que os oito anos passados, que o Milton, tenha a humildade e o respeito que alguns de seus funcionários não têm e não tiveram nestes oito anos.
O eleitor paga pelo serviço, ele não precisa pedir favor a ninguém, e só quer ser atendido com dignidade nas áreas em que tem direito, como segurança, saúde,  educação, e condições de ir e vir nas ruas de sua cidade.
Boa sorte a cidade e a todos nós!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário