Páginas

quinta-feira, 26 de abril de 2012

BANHEIRO QUIMICO, VAI DAR MER.......!!!


O TCE aprovou, em sessão pelenária, a instauração das 13 inspeções extraordinárias, no entanto, ainda não há data marcada para a realização das auditorias. A medida, oriunda de representação do Ministério Público de Contas, alcança os municípios de Arroio do Sal, Cidreira, Terra de Areia, Caxias do Sul, Torres, Balneário Pinhal, Santo Antônio da Patrulha, Imbé, Xangri-Lá, Carlos Barbosa e Rio Grande; além da Brigada Militar e da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Agronegócio.
Segundo nota da Assessoria do Tribunal, o presidente Cezar Miola disse que a questão das locações de sanitários químicos, objeto de investigação do Ministério Público, evidenciou possível ocorrência de atos que afrontam princípios constitucionais e justifica a atuação do TCE.


Foi deflagrada dia 19 de março uma operação do Ministério Público no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina para combater um cartel na locação de banheiros químicos. Quatro empresas eram suspeitas de forjar disputas na licitação, apesar de todas pertencerem ao mesmo grupo. Todas são investigadas por corrupção ativa e passiva, fraude em licitação e formação de cartel.
Segundo o promotor Ricardo Herbstrith, cada banheiro químico custava cerca de R$ 55 nas cidades onde ocorreu a fraude. Em municípios vizinhos, onde o cartel não atuava, por exemplo, a diária não chegava a R$ 25.
A principal ação foi realizada em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, onde funciona a sede da principal empresa do grupo. A Polícia foi acionada para cumprir cinco mandados de busca e apreensão também em Canoas e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e em Palhoça e Criciúma, em Santa Catarina. Com o apoio do TCE, o MP investiga a participação de funcionários públicos em 11 prefeituras do RS e em três prefeituras de SC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário