Páginas

quarta-feira, 13 de abril de 2011

DESARMAMENTO: OMISSÃO DO ESTADO E POLITICAGEM.

Após um fato sem explicações cometido por um louco na cidade do Rio de janeiro, o governo federal novamente voltou a querer um plebiscito para o desarmamento do cidadão. Como se o fato ocorrido fosse culpa das pessoas de bem que tem armas em suas casas, como se o crime tivesse sido cometido por uma pessoa com arma regular.
A arma usada é objeto de crime, e por isso que acredito não ser culpa do cidadão, que ira ficar a mercê destes meliantes e de pessoas sem escrúpulos, ora desarmar o cidadão não ira coibir este tipo de crime e nem os outros, que irão aumentar, pela certeza do bandido que não terá reação e assim facilitando a sua ação.

Foram gastos fortunas no ano de 2005 no plebiscito do desarmamento, e em segurança publica nada mais do que o exigido, o que é preciso neste país é uma profunda aplicação nas policias estaduais para que possam trabalhar em prol da segurança do cidadão.

Afinal se segurança é dever do estado e direito do cidadão, primeiro que seja dada esta segurança, e após sim poderemos pensar em desarmar as pessoas.

Eu acredito que a questão do desarmamento seja política, afinal a quem interessa o desarmamento a não ser para aqueles que querem, usurpar a lei, fazer invasões, manter o controle da situação para que o povo não se revolte com suas ações.
Se gastarem novamente este dinheiro em plebiscito e nada em policia, de nada vai adiantar, pois o povo sabe que precisa é ter segurança, e criada por ele mesmo, afinal segurança no Brasil é dever só do cidadão, porque o estado não cumpre com sua parte.

Criminalização da defesa armada da vida, marginalização do cidadão honesto, monopolização da segurança pessoal na mão do estado.
O Brasil está combinando os ingredientes de uma tragédia ou de um futuro melhor? Sem armas não há como resistir à tirania.

Já estou em campanha, NÃO AO DESARMAMENTO DO CIDADÃO, QUEREMOS POLICIA FORTE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário