Páginas

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

QUEM SERÁ A 1ª DAMA DO PAÍS?.

Dilma teria amante mineira que pede pensão.

No vale-tudo do final de campanha surge hoje a figura de Verônica Maldonado dizendo “Dilma Rousseff é Lésbica, mas nunca quis assumir nosso romance publicamente”
A declaração é de Verônica Maldonado, uma doméstica que afirma ter tido um longo romance com a atual candidata à presidência da república, Dilma Rousseff.

“Nos relacionamos durante mais de quinze anos, mas quando surgiu essa oportunidade em Brasília, ela nunca mais quis saber de mim”
Verônica afirma possuir fotos, cartas e outros documentos que comprovam a relação duradoura e pretende pleitear na justiça o direito à uma pensão mensal.

“Afinal nós tivemos um relacionamento durante mais de quinze anos, período em que deixei de trabalhar, estudar, apenas para ficar com ela. Acho que tenho direitos como qualquer outra mulher!”

Segudo o advogado de Verônica, Dr Celso Langoni Filho, a possibilidade de ganho de causa é concreta, uma vez que sua cliente é capaz de comprovar a existência de uma relação estável e duradoura. Ele cita o caso da Justiça de Pernambuco, que tomou uma decisão inédita este mês ao reconhecer a união estável de duas lésbicas para fins de pagamento de pensão.

“A decisão da juíza Paula Maria Malta, da 11ª vara da família e registro civil da capital pode abrir jurisprudência para que outros juízes sigam o parecer” Afirma Celso Longoni.
Em sua decisão, a juíza alegou que o artigo 226 da Constituição diz que a família é um bem da socedade e que tem proteção especial do estado. A lei se refere ao relacionamento entre homem e mulher, mas não fala em pessoas do mesmo sexo.

Um comentário:

  1. Se ela tem essa opção? Problema é dela! Desde que não dê em cima das minhas gatinhas...rsrsrs. O que se tem que perguntar é sobre a sua relação com a Erenice Guerra...não a sexual, mas a pessoal! Essa sim, tem ligações diretas com ela. Esse ponto que tem que ser dissecado! Já Marina, e nem as pessoas ligadas a ela, nunca teve seu nome ligado a "rolos".

    E se ela é a favor do aborto? É um direito dela. O que temos que perguntar é porque que em vez do aborto ela não apresenta um plano de controle da natalidade mais eficiente? Que tal disponibilizar a injeção anticoncepcional às mulheres que desejarem optar por essa forma de prevenção, mais eficar e menos agressiva do que um aborto? Marina tem como plano para isso o Programa de Desenvolvimento Familiar, que engloba o planejamento familiar (pg. 30 de suas diretrizes de governo).

    Só quero ver se vai ser publicado! rsrsrs

    ResponderExcluir