Páginas

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

AFINAL QUEM MORREU?

Cadáver foi sepultado por engano no final de semana.

A família de Silvane Neves de Freitas, de 24 anos, e o Instituto Geral de Perícias (IGP) divergem sobre o reconhecimento do corpo enterrado por engano no final de semana, em Osório, no Litoral Norte.

O cadáver de uma mulher foi sepultado no sábado como se fosse de Silvana. No entanto, a jovem foi encontrada viva e foi reconhecida por um policial na avenida Minas Gerais, em Nova Tramandaí.

Conforme a mãe de Silvane, Teresa Neves, 47 anos, o corpo encontrado pela polícia na tarde de quinta-feira estava em estado avançado de decomposição e, por isso, impossível de ser reconhecido com certeza. “A minha filha mais nova foi até o Instituto Médico Legal na sexta-feira para reconhecer o corpo que estava enterrado há três dias na estrada do Marmital. Pelas características, ela achou que fosse o corpo da irmã. Mas avisou aos peritos que, devido ao péssimo estado do corpo, não tinha como ter certeza. Ela deixou a carteira de identidade lá para comparação das digitais”, afirmou Teresa em entrevista ao site do Correio do Povo.
Procurado pela reportagem, o diretor do IGP, Áurio Figueiredo Martins, rebateu as declarações e afirmou que a família assinou o termo de reconhecimento do corpo perante o delegado. Depois disso, o corpo foi liberado para o enterro. “Se a família reconhece o corpo e assina o termo, para nós está certo. Não há discussão. Esse é o procedimento do IGP. É assim que trabalhamos”, garantiu Martins.
O inusitado caso do suposto enterro de Silvane aconteceu no último sábado em Osório, no Litoral Norte gaúcho. Desaparecida desde domingo, dia 29 de agosto, a jovem foi localizada ontem, em Nova Tramandaí, graças a fotos publicadas em jornais da região.
Na sexta-feira, no entanto, o suposto corpo de Silvane foi localizado pela polícia e entregue à família. Conforme Teresa, a filha é usuária de drogas. Ela constantemente some de casa e volta depois de alguns dias. “Ainda estou triste por tudo o que passei nesse final de semana, mas aliviada por ter minha filha aqui comigo em casa de novo”, disse a mãe.
Correio do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário