Páginas

quinta-feira, 29 de julho de 2010

MORREU PEDRO MORAES.

Sargento da Brigada Militar que ajudou a mudar a relação entre polícia e governo, Pedro Dias de Moraes morreu na madrugada de domingo, aos 50 anos, vítima de infarto, em Cachoeira do Sul.

Em julho de 1997, durante o governo Britto, o então cabo Moraes, presidente da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), a entidade de cabos e soldados, liderou o primeiro movimento de paralisação da história da Brigada Militar. O sargento da BM também era, no mesmo período, o presidente da Associação Nacional de Cabos, Soldados, Policiais e Bombeiros Militares do Brasil (Anercs).

Na época, Moraes deu entrevista à Zero Hora, na qual resumiu o movimento: “Não foi uma greve (rindo), nos mantivemos em assembleia permanente. Fizemos um movimento muito positivo, ordeiro, com simpatia da sociedade e das autoridades.”

Ele ingressou na corporação pelo 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Porto Alegre, em 1980. Inspirou-se no pai, Basilio Dias de Moraes, segundo-sargento em Três Passos. Ele era ligado ao tradicionalismo.

Na presença da mulher, Alda, das filhas Paula, Andréia e Luana, amigos, familiares e colegas de farda, Moraes foi enterrado no final da tarde de domingo, no cemitério Jardim da Paz, na Capital.
Moraes foi um bom amigo, que tive a honra de conhecer, e fiquei muito sentido por saber somente hoje de sua morte, atravez de um outro amigo. Meus sentimentos a familia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário