Páginas

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

FURO DE REPORTAGEM, MAS A QUE PREÇO?

O repórter da Rádio Agudo AM, Márcio Nunes, se preparava para entrar no ar com informações sobre as enxurradas no município no exato momento em que a ponte que liga a cidade a Restinga Seca caiu. O radialista estava a poucos metros do local e descreveu a queda da construção segundos após o incidente.

— Olhei para o rio por alguns instantes, e, quando olhei para a ponte de novo só vi uma nuvem de poeira — contou.

Márcio tem 31 anos, e trabalha há 12 na emissora. Ele afirma que nunca passou por algo parecido. Durante o relato, o repórter chora ao informar que as vítimas estão sendo levadas pela correnteza.

— Fiquei muito emocionado. Ao mesmo tempo que eu tinha que relatar, sentia que devia ajudar as pessoas. Minha vontade era de pular na água — explica.