Páginas

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

REUNIÃO NA CASA CIVIL, NÃO OBJETIVA MELHORIAS PARA A CATEGORIA.

A reunião proposta pelo chefe da Casa Civil Otomar Vivian com o presidente do Servipol Allan Mendonça e os diretores Wilson Sichonany e Rogério Bilhalva, realizada na tarde de hoje, 11/11, não atendeu às expectativas do sindicato.
O secretário se mostrou disposto a estudar a pauta de reivindicações entregue a ele que tinha como itens a incorporação do risco de vida ao vencimento básico, reconhecimento das atribuições como de nível superior e atualização das promoções.

No entanto não acenou com nenhum tipo de reajuste salarial como será concedido à Brigada Militar que terá um aumento linear, onde os oficiais receberão um aumento de 19,09% e o soldados passarão a ter a um salário básico R$1.200,00, o que representa um acréscimo de 20% aos salário atual. O projeto para Brigada Militar será encaminhado hoje para a Assembléia Legislativa em regime de urgência.

Para a Polícia Civil o chefe da Casa Civil adiantou que o governo prevê apenas o pagamento da matriz salarial. “Já está previsto para o pagamento da matriz salarial 87 milhões de reais”, disse Otomar Viviam. O Servipol alerta que isso representará um acréscimo de vinte reais nos vencimentos dos policiais civis.
É importante destacar que a matriz salarial é paga em função de uma lei criada durante o governo Rigotto, em 2004, e se trata de uma reposição salarial, portanto de aplicação obrigatoria por qualquer governante que esteja no poder e não deve ser utilizada como argumento de negociação. “O Servipol foi precursor na tentativa de estender aos agentes o mesmo aumento de 24,01% concedido aos delegados. Não vejo outra possibilidade de negociação que não passe por uma melhoria salarial para os servidores da Polícia Civil. O Servipol não vai negociar com o governo o que já está fixado em lei, que é o pagamento da matriz salarial. A lei deve ser cumprida e não negociada.”, enfatiza Mendonça.

No final da reunião Otomar Viviam foi alertado pelos dirigentes do Servipol que os agentes policiais estao revoltados com o descaso do governo em relação à classe. A possibilidade de greve não está descartada caso o governo nao sinalize com um aumento real e efetivo para os policiais civis.


Site do SERVIPOL
Escrito por Comunicação Social
Qua, 11 de novembro de 2009 17:09