Páginas

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

GOVERNO AUMENTA O RISCO DE VIDA NA POLICIA

Polícia Civil receberá R$ 73,3 mil para compra de armamento não-letal
A governadora Yeda Crusius liberou R$ 73,3 mil à Secretaria da Segurança Pública para aquisição de armamento não-letal para a Polícia Civil. Com a adoção das novas armas, a meta é que haja redução nos riscos de lesões médias e graves nas pessoas envolvidas em ocorrências, reduzindo a letalidade e evitando o emprego de armas de fogo, além de trazer economia para o Estado.
A Brigada Militar (BM) já dispõe de 300 armas Taser. Cinquenta foram adquiridas pelo Estado, com custo de 850 dólares por arma, e as outras foram doadas à Corporação pelo governo federal. O armamento da BM apresenta tecnologia importada dos Estados Unidos. Ao ser ativado, lança dois dados energizados com cinco mil volts e baixa amperagem. Com o choque, a arma gera incapacitação neuromuscular, impossibilitando qualquer tipo de reação. Assim, é aberta uma janela de oportunidade para imobilização, sem o uso da força física. O dardo engancha na roupa ou até mesmo na pele, causando uma pequena perfuração. É indicado em situações em que os criminosos não estejam utilizando arma de fogo.

Conhecida como Taser, a arma não-letal é também recomendada para abordagens de indivíduos sob efeito de substâncias entorpecentes, alcoolizados ou resistentes à prisão. A governadora Yeda Crusius tem priorizado a Segurança Pública ampliando o efetivo, realizando cursos e treinamentos, bem como equipando as instituições. "Estamos preparando nossos policiais para que possam desempenhar suas atividades conforme espera a sociedade. As armas são modernas e utilizadas pelas polícias de diversos países. Elas neutralizam sem causar lesões", observa a governadora.

Me desculpe a governadora, mas a Policia Civil não tem necessidade de ter esse tipo de armamento, pois trabalhamos com investigação e prisões, estas armas são otimas para enfrentamento em passeatas e outras manifestações como as do MST, e isso, é atribuição da Policia Ostensiva e não da Policia Judiciaria o que é o caso da Civil, nós (PC) remediamos e não prevenimos.