Páginas

quarta-feira, 20 de maio de 2009

CPI DE QUE, AFINAL?


Tenho assistido na imprensa a questão da CPI contra o governo de Yeda, e não estou entendendo o que acontece, se vai ser feita uma CPI, tem de haver um motivo muito forte, mas cada vez que um partido diz que não vai assinar, os idealizadores do requerimento dizem que podem mudar o texto para que assinem.
Sabemos que para abrir uma CPI temos de ter casos concretos, e com denuncias que deverão ser provadas ao longo das investigações, mas se o requerimento é mudado a cada negativa de assinatura, é porque eles não tem certeza, nem sobre o que seria tal denuncia.
Sabemos tambem que por traz das denuncias esta o vice-governador do estado, que esteve reunido com sindicatos e com o PSOL, dizendo ter como cassar a governadora. Estaria ele querendo assumir o seu cargo? Creio que a situação tem de investigar o vice-governador, pois ja ha motivo, ele recebeu 25 mil reais de uma empresa e não repassou para o caixa de campanha, diz o tesoureiro Ruben Bordin, atual vice-presidente do Banrisul.
Esperamos que a verdade supere o desespero dos que querem fazer CPI por fazer, se tem provas cassem, mas se não tem deixem o governo do estado trabalhar, pois só quem perde é o estado do Rio Grande do Sul. E o vice-governador que concorra a governador e se eleito assuma a cadeira.
Um forte abraço a todos e saibam que esta politica feita pelo vice, que esta usando o PSOL para tentar ser governador, não lhe deixa outra saida, tem de renunciar ao cargo, para não participar deste governo dito por ele "corrupto".

Nenhum comentário:

Postar um comentário